Oscar Niemeyer – Arquiteto

Retrato do arquiteto Oscar Niemeyer

Oscar Niemeyer
* Rio de Janeiro, RJ. – 1907 d.C

1922. Matricula-se no Colégio dos Barnabitas Santo Antônio Maria Zaccaria.

” Nasci em Laranjeiras, na Rua Passos Manuel, rua que depois recebeu o nome do meu avô Ribeiro de Almeida, então Ministro do Supremo Tribunal Federal. Uma rua íngreme, tão íngreme que até hoje me espanta como a corríamos de cima para baixo jogando futebol.”

1928. Niemeyer conclui o curso secundário. Casa-se com Annita Baldo.

1929. Matricula-se na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro.
“Em 1928, me casei com Annita Baldo, uma moça bonita, modesta, filha de imigrantes italianos, provenientes de Pádua, perto de Veneza. Nessa época eu não tinha tomado rumo certo, Ao contrário, levava vida boêmia e despreocupada e tudo me parecia bem.”

“Depois de casado comecei a compreender a responsabilidade que assumia e fui trabalhar na tipografia de meu pai, entrando depois para Escola Nacional de Belas Artes.”

1934. Obtém o diploma de engenheiro arquiteto no Rio de Janeiro.

1935. Inicia vida profissional no escritório de Lúcio Costa e Carlos Leão.

1936. No escritório de Lúcio Costa e Carlos Leão participa da equipe do projeto do Ministério da Educação e Saúde. Conhece Le Corbusier e Gustavo Capanema.

“Não queria, como a maioria dos meus colegas, me adaptar a essa arquitetura comercial que vemos aí. E apesar das minhas dificuldades financeiras, preferi trabalhar, gratuitamente, no escritório do Lúcio Costa e Carlos Leão, onde esperava encontrar as respostas para minhas dúvidas de estudante de arquitetura. Era um favor que eles me faziam.”

1937. Projeta a Obra do Berço, no Rio de Janeiro.

1939. Viaja com Lúcio Costa para projetar o Pavilhão do Brasil na Feira Mundial de Nova Iorque.

1940. Conhece o prefeito de Belo Horizonte Juscelino Kubitschek, que o convida a projetar o Conjunto da Pampulha.

1945. Ingressa no Partido Comunista Brasileiro.

1946. Convidado a dar um curso na Universidade de Yale, nos EUA, tem seu visto de entrada cancelado.

1947. Obtida a permissão de estada nos Estados Unidos, viaja a Nova Iorque para desenvolver o projeto da sede da ONU.

1950. É publicado nos EUA o livro The Work of Oscar Niemeyer, de Stamo Papadaki.

1951. Projeta os conjuntos Ibirapuera e COPAN, em São Paulo.

1952. Projeta sua residência na Estrada das Canoas, no Rio de Janeiro.

1954. Viaja pela primeira vez a Europa, quando participa do projeto para reconstrução de Berlim.

1955. Funda a revista Módulo, no Rio de Janeiro. Assume chefia do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da NOVACAP, encarregada da construção de Brasília.

1956. É encarregado de organizar o concurso para escolha do Plano-piloto de Brasília, participando também da comissão julgadora.

1957- 58. Projeta o Palácio da Alvorada em Brasília e os principais prédios da Nova Capital.
1961. Publica Minha experiência em Brasília.

1962. É nomeado coordenador da Escola de Arquitetura da recém criada UnB.
Viaja ao Líbano para projetar a Feira Internacional e Permanente.

1963. É nomeado membro honorário do Instituto Americano de Arquitetos dos Estados Unidos.

1964. Viajando a trabalho para Israel, é surpreendido pela notícia do golpe militar no Brasil. Retorna ao país em novembro, quando é chamado pelo DOPS para depor.

É nomeado membro honorário da Academia Americana de Artes e Letras e do Instituto Nacional de Artes e Letras.

” Mas durante a ditadura, tudo foi diferente. Meu escritório foi saqueado e o da revista Módulo, que dirigia, semi-destruído. Meus projetos pouco a pouco começaram a ser recusados. “Lugar de arquiteto comunista é em Moscou “, desabafou um dia a imprensa o Ministro da Aeronáutica.”

1965. Retira-se da Universidade de Brasília com mais 200 professores, em protesto contra a política universitária. Viaja a Paris para a exposição de sua obra no Museu do Louvre.

1966. Publica o livro Quase memórias: Viagens.

1967. Impedido de trabalhar no Brasil, decide se instalar em Paris.

1968. Projeta a sede da Editora Mondadori, na Itália, e desenvolve diversos projetos para a Argélia.

1969. Na Argélia, projeta a Universidade de Constantine.

1970. Em protesto contra a guerra do Vietnã, desliga-se da Academia Americana de Artes e Ciências.

1972 – 73. Em Paris, abre seu escritório nos Champs Elysées, em Paris. Acompanha a exposição sobre sua obra na Europa.

1975. Projeta a sede da Fata Engeneering na Itália. A revista Módulo volta a ser publicada.

1978. Funda o Centro Brasil Democrático CEBRADE, do qual é eleito presidente.

1983. Retrospectiva de sua obra, no MAM-RJ.

1985. Volta a desenvolver projetos para Brasília.

1987 – 88. Recebe o Prêmio Pritzker de Arquitetura, dos Estados Unidos. Projeta Memorial da América Latina em São Paulo.

1990. Junto com Luiz Carlos Prestes, desliga-se do Partido Comunista Brasileiro.

1991. Projeta o MAC de Niterói.

1993. Publica Conversa de Arquiteto.

1994. Projeta o Museu O Homem e seu Universo, em Brasília, e a Torre da Embratel, no Rio de Janeiro.

1995. Projeta o Monumento em Comemoração ao Centenário de Belo Horizonte.
Recebe os títulos de Doutor Honoris Causa das Universidades de São Paulo e de Minas Gerais.

1996. Projeta o Monumento Eldorado Memória, doado ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra. Recebe o Prêmio Leão de Ouro da Bienal de Veneza por ocasião da VI Mostra Internacional de Arquitetura.

1997. Em homenagem ao seu aniversário, realizam-se diversas mostras no Brasil.
Inicia os estudos para o Caminho Niemeyer, Niterói, no Rio de Janeiro; o Museu de Arte Moderna de Brasília; a sede da empresa TECNET – Tecnologia e o Paço Municipal de Americana, em São Paulo, e o Centro de Convenções do Riocentro, na cidade do Rio de Janeiro.

1998. No Pavilhão Manoel da Nóbrega – Parque do Ibirapuera, em São Paulo, é realizada a exposição retrospectiva sobre sua obra Oscar Niemeyer 90 Anos.

Recebe a Royal Gold Medal do Royal Institute of British Architects – RIBA.

Inicia os estudos para os projetos do Centro Cultural de Santa Helena, no Paraná, o Complexo arquitetônico Memorial e Palácio Legislativo Ulysses Guimarães, em Rio Claro e a Escola de Música Guiomar Novaes, em São João da Boavista, em São Paulo, o Memorial Darcy Ribeiro no Sambódromo, no Rio de Janeiro, o Memorial Maria Aragão, em São Luis do Maranhão, o Monumento Marco de Touros, o Presépio de Natal, em Natal, no Rio Grande do Norte, o Complexo Arquitetônico Memorial e Palácio Legislativo Ulysses Guimarães, em Rio Claro, São Paulo, o Memorial Carlos Drummond de Andrade, em Itabira, Minas Gerais, e o Memorial Paranaense da Coluna Prestes, em Santa Helena, Paraná.

1999. Projeta, entre outros, o novo Teatro no Parque do Ibirapuera em São Paulo, o Setor Cultural de Brasília, o Centro Administrativo de Betim, em Minas Gerais, além do Monumento Comemorativo aos 500 Anos do Descobrimento do Brasil em São Vicente, SP. Realizam-se as seguintes exposições: no Museu de Arte Contemporânea de Niterói a exposição Escultura de Oscar Niemeyer; no Riocentro, Rio de Janeiro, a exposição Oscar Niemeyer 90 Anos, a qual segue depois para Buenos Aires, Argentina e Brasília.

2000. Projeta o Módulo Educação Integrada – MEI, creches populares incorporadas aos Centros Integrados de Educação Pública – CIEPs; o Centro Administrativo de Goiânia, oMemorial Cassiano Ricardo em São José dos Campos, SP, além da Sede da UNE na Praia do Flamengo, no Rio de Janeiro, o auditório em Ravello, na Itália, o Jardim Botânico em Petrópolis e o Centro Cultural e Esportivo João Saldanha, em Maricá, ambos no estado do Rio de Janeiro. No Rio de Janeiro é lançado, o documentário Oscar Niemeyer um arquiteto engajado em seu século, do cineasta belga Marc-Henri Wajnberg.

2001. Projeta a Residência em Oslo, Noruega, o Acqua City Palace Moscou, Rússia, o Auditório e Salão de Exposições da Faculdade Cândido Mendes, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. O anexo do hotel Copacabana Palace no Rio de Janeiro, o Centro de Memória do DOI-CODI, em São Paulo e o Museu do Cinema, em Niterói, Rio de Janeiro, o Museu Arte, Arquitetura, Cidade, em Curitiba, Paraná, e o Hospital Veterinário da Universidade do Norte Fluminense – UENF, em Campos, Rio de Janeiro.

Recebe a Medalha da Ordem da Solidariedade do Conselho de Estado da República de Cuba, a Medalha do Mérito Darcy Ribeiro do Conselho Estadual de Educação do Estado do Rio de Janeiro, o Prêmio UNESCO 2001, na categoria Cultura e os títulos de Grande Oficial da Ordem do Mérito Docente e Cultural Gabriela Mistral, do Ministério da Educação do Chile e de Arquiteto do Século XX, do Conselho Superior do Instituto de Arquitetos do Brasil.

Realiza-se a exposição Oscar Niemeyer 90 anos, no Pavilhão de Portugal do Parque das Nações em Lisboa, Portugal.

2002. Projeta o Centro Cultural e Esportivo da Escola de Samba Unidos de Vila Isabel, no Rio de Janeiro.

Realiza-se a exposição Oscar Niemeyer 90 anos, na Galerie Nationale du Jeu de Paume em Paris, França.

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração, Tecnologia da Informação e bacharelando em Direito. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, USA. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

Publicado em Arquitetos Marcado com: , , , , ,