Hélio Fernandes – Jornalista

Foto do jornalista Hélio Fernandes da Tribuna da Imprensa
Hélio Fernandes
* Rio de Janeiro, RJ. – 17 de Outubro de 1920 d.C

Hélio Fernandes é um jornalista brasileiro. Sua história profissional confunde-se com a própria história da Tribuna da Imprensa, jornal de que é proprietário desde 1962.

Revista O Cruzeiro 01
Clique na imagem para ampliar
Capa da revista O Cruzeiro onde Hélio Fernandes iniciou a carreira de jornalista

Biografia

Seu primeiro emprego foi na revista O Cruzeiro, quando tinha 13 ou 14 anos de idade, onde entrou a pedido do pai, gráfico de profissão, e lá permaneceu por aproximadamente 16 anos, junto com seu irmão mais novo Millôr Fernandes. A seguir, foi chefe da sessão de esportes do Diário Carioca, onde chegou ao cargo de secretário, semelhante ao atual editor. Quando o jornal fechou, foi ser diretor da revista Manchete.

No final do Estado Novo, em 1947, cobriu a Assembléia Constituinte de 1947, onde conhece o jornalista Carlos Lacerda, com quem teve longa relação profissional e de amizade. Trabalhou como jornalista no recém-lançado jornal Tribuna da Imprensa.

Foi assessor de imprensa de Juscelino Kubitschek durante a campanha deste à presidência da república em 1955, quando viajou por todo o pais acompanhando o candidato. Após a campanha, polêmico como sempre, volta ao jornalismo de oposição ao governo que ajudara a eleger. Trabalha também na televisão, num programa onde comenta a situação política, com sucesso.

No começo da década de 1960, Hélio Fernandes adquire o jornal Tribuna da Imprensa, fundado alguns anos antes por Carlos Lacerda agora governador do estado da Guanabara. Vários jornalistas importantes dessa época ganharam destaque com ele, como Paulo Francis e Sebastião Nery.

Jornalista sempre polêmico e com idéias de esquerda, começou a ser perseguido logo após o Golpe Militar de 1964. Foi o redator do manifesto pela Frente Ampla, lançado por Juscelino, Lacerda e João Goulart e chegou a ser candidato a deputado federal pelo MDB, mas teve seus direitos políticos cassados em 1966.

Com a violenta censura à imprensa imposta principalmente com o AI-5 em 1968, foi preso várias vezes, inclusive no DOI-CODI, foi afastado compulsoriamente do Rio de Janeiro e obrigado a passar períodos de exílio interno em Fernando de Noronha ou no Pantanal. Ao contrário de outros donos de jornal, nunca aceitou a censura e nunca deixou de tentar publicar as notícias do período. A sede do jornal chegou a ser alvo de um atentado a bomba, poucos dias antes do Riocentro, já na época final da ditadura militar, em 1981, mas no dia seguinte o jornal estava nas bancas.

Quase nonagenário (2007), Hélio Fernandes passou o comando do jornal a seu filho de mesmo nome. Seu outro filho, Rodolfo Fernandes é o editor do concorrente O Globo. Mas continua polêmico.

Citação

* E a Tribuna da Imprensa, por que é que teve dez anos de censura?”. E o general “ah, bom, porque eu não consegui falar nunca com o jornalista Hélio Fernandes. Eu telefonava e ele mandava dizer que não estava. Uma vez eu telefonei e ele mandou um recado perguntando se eu podia telefonar dentro de cinco anos. Gal. Hugo Abreu, ministro do presidente Ernesto Geisel em seu livro de memórias O outro lado do poder.

Bibliografia

* Antony Devalle e Maria Aparecida Costa, Entrevista com Hélio Fernandes (2002),UERJ

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração, Tecnologia da Informação e bacharelando em Direito. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, USA. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

Publicado em Jornalistas Marcado com: , , , , , , , , , , ,